Rss Feed
  1. Vou me restringir à resposta.

    sábado, 20 de agosto de 2011


                   Existem sonhos que são tão ricos de detalhes, pessoas, conversas e até mesmo cheiros, que nos confundem. Já os meus não são assim, mas hoje foi diferente. Foi tudo excessivamente detalhado. Talvez eu explique o porquê do sonho, mas vou falar primeiro como aconteceu. (Afinal já estou começando a esquecer). 

                        O começo do sonho não importa muito, mas sim o final. Eu conversava com uma pessoa que me deve algo, ou pelo menos eu acho que deve. Iniciávamos um dialogo normal, porém surgia um comentário: “eu prometi que não tocaria nesse assunto com você”. Eu mudava de assunto e falava a respeito de outras coisas. Mas eu cheguei a um ponto que já tinha controle do sonho e aproveitei para ouvir uma resposta. Então escrevi: “eu também prometi que não iria perguntar nada, mas preciso saber. Posso te perguntar?”. A resposta foi uma pseudocitação de Manuel Bandeira: “Como diz Manuel Bandeira, para respostas existem três opções, o amor, a gentileza e a memória. Vou me restringir à memória”. Isso tudo respondido em forma de livros, cada palavra em uma capa de livro. 
                       Com essa resposta cheguei à conclusão, quase acordada, de que perdi meu precioso tempo fora da realidade, buscando respostas reais, e que nem em sonhos terei. Tentei continuar sonhando, mas infelizmente não consegui. Não sei bem o porquê de relatar esse sonho. Talvez para respeitar os limites do real e do imaginário. Pelo que parece quando eles se misturam as coisas ficam um pouco estranhas, fogem ao controle. 
        
    Tudo bem, agora você já pode responder.
    |


  2. A Partir daqui...

    sexta-feira, 12 de agosto de 2011

    Tenho o titulo, mas falta o texto.


    Vamos ao texto pessimista e previsível, ou não. Algumas semanas atrás “comecei” um texto, porém não produzi mais que o titulo. Eu tinha o titulo perfeito, mas faltava todo o resto. Pelo jeito hoje vou conseguir ir além. A questão é, que esse além poderia ficar gentilmente preso ao titulo, pra sempre. “A partir daqui...”. Nossa, pensando melhor, o que irei escrever tornará esses texto nauseante (eca). Melhor parar por aqui. Eu realmente gostaria de concluir um texto interessante e surpreendente com esse titulo, porém aparentemente ele ficará sozinho, ao lado de  tudo o que ele representa nesse momento.  A partir daqui que tudo seja diferente.



    (Salmos 4:7)
    |